Perdoar e ser perdoado

147

PERDOAR E SER PERDOADO

 

PERDÃO – ato de eximir alguém da culpa, apesar de seus erros. Como termo teológico, o perdão se refere à atitude de Deus para com os pecados dos seres humanos. (dib)

 

PERDOAR E SER PERDOADO

Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós. – Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas.

Mateus 6.14,15 (arc)

Jesus nos dá uma surpreendente advertência sobre o perdão: se recusarmos perdoar aos outros, Deus também se recusará a perdoar-nos. Por que? Porque, quando não perdoarmos aos outros, negamos nossa condição de pecadores que precisam do perdão de Deus.

O perdão dos pecados, concedido por Deus quando aceitamos Jesus como Salvador e Senhor, não é resultado direto de perdoarmos aos outros, e sim do sacrifício de Cristo por nós (ver Ef 4.32), mas ao entendermos o significado da misericórdia de Deus para conosco, devemos colocá-la em prática em relação a nosso próximo. É fácil pedir perdão a Deus, mas é difícil concedê-lo aos outros. Sempre que pedirmos que Deus perdoe os nossos pecados, devemos perguntar a nós mesmos: Será que eu tenho perdoado aqueles que me têm magoado? (beap)

 

SEJAMOS BENIGNOS, COMPASSIVOS E PERDOADORES

Antes, sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus, em Cristo, vos perdoou.

Efésios 4.32 (ara)

“…perdoando-vos uns aos outros…” Neste ponto encontramos a grande exigência cristã da fraternidade, do espírito perdoador entre os crentes. Isso dá a entender que entre os crentes se cometerão ofensas reais uns contra os outros, e que muito terão eles de suportar uns aos outros. Não devemos pensar que tais falhas são imaginárias. (Com isso se pode comparar o trecho de Ef. 4.2, onde se lê: “…suportando vós uns aos outros em amor”). Essa é a atitude que Paulo recomenda também no presente versículo.

“…como também Deus, em Cristo, vos perdoou…” O exemplo supremo de amor nos foi dado por Cristo Jesus; e o perdão que recebemos da parte de Deus, por intermédio de Cristo, é destacado como o padrão que nos compete seguir em nossas relações com o próximo. Não nos devemos esquecer que muito nos foi perdoado, e que, por isso mesmo,  muito devemos perdoar. (nti)

 

O PECADO IMPERDOÁVEL

Na verdade vos digo que todos os pecados serão perdoados aos filhos dos homens, e toda sorte de blasfêmias, com que blasfemarem. – Qualquer, porém, que blasfemar contra o Espírito Santo, nunca obterá perdão, mas será réu do eterno juízo.

Marcos 3.28,29 (arc)

Sem dúvida, essa é uma das perguntas importantes de algumas pessoas: ‘Será que eu não passei dos limites, e já não posso mais ser perdoado?’. Esse texto trata exatamente dessa questão. Aqui, Jesus afirma que a blasfêmia contra o Espírito Santo não pode ser perdoada. Mas o que quer dizer isso? Será apenas falar uma palavra contra o Espírito Santo? Quando lemos o contexto, desde o versículo 20, descobrimos que os escribas estavam chamando de diabólico o poder de Cristo. Sabemos que a manifestação do poder do Espírito de Deus tem o propósito de convencer os pecadores a crer em Cristo. Quem viu o próprio Deus encarnado, manifestando o poder miraculoso de Deus, e o tratou como se fosse o próprio satanás, mostrou que é uma pessoa sem recuperação. Não há mais nada que possa convencer pessoas como essas. A rejeição deliberada e consciente do poder e da graça de Deus através da obra de Cristo é a blasfêmia contra o Espírito Santo. (bee)

 

O ARREPENDIMENTO É FUNDAMENTAL PARA O PERDÃO

ELE percorreu toda a região próxima ao Jordão, pregando um batismo de arrependimento para o perdão dos pecados.

Lucas 3.3 (nvi)

O arrependimento e a confissão de pecados implica mudança de vida. A fé sem obras é morta (Tg 2.14-26).

Converter-se significa afastar-se do pecado e voltar-se para Deus. Para que haja conversão verdadeira, devemos tomar estas duas atitudes. Não podemos apenas dizer que cremos em Deus e viver do modo que escolhermos (3.7,8). Também não adianta ter uma vida moralmente correta, sem construir um relacionamento pessoal com Deus, porque nossa justiça não pode trazer o perdão dos pecados. Peça a Deus que liberte sua vida de todos os pecados e deposite a sua confiança somente nEle, pedindo-lhe para dirigir cada um de seus passos! (beap)

 

JESUS NOS PERDOA COMPLETAMENTE

E jamais me lembrarei de seus pecados e de suas iniqüidades.

Hebreus 10.17 (arc)

O escritor conclui seu argumento com esta poderosa declaração de que Deus não se lembrará mais dos nossos pecados. Cristo nos perdoa completamente; por esta razão, não há necessidade de confessar os nossos pecados passados repetidamente. Como crentes, podemos estar confiantes de que os pecados que confessamos e renunciamos foram perdoados e esquecidos. (beap)

 

O PERDÃO ESTÁ  COM DEUS

Se tu, SENHOR, observares as iniqüidades, Senhor, quem subsistirá? – Mas contigo está o perdão, para que sejas temido.

Salmos 130.3,4 (arc)

Manter um registro dos pecados ou guardar rancor é como construir uma parede entre você e outra pessoa; é quase impossível falar abertamente enquanto a parede estiver presente. Deus não mantém um registro dos nossos pecados; quando perdoa, Ele o faz por inteiro; derruba qualquer barreira entre nós e Ele. Tememos a Deus, mas podemos falar com Ele sobre qualquer assunto. Ao orar, perceba que Deus nada tem contra você. As linhas de comunicação estão completamente abertas. (beap)

 

FELICIDADE E ALEGRIA POR SER PERDOADO

Como é feliz aquele que tem suas transgressões perdoadas e seus pecados apagados! – Como é feliz aquele a quem o Senhor não atribui culpa e em quem não há hipocrisia!

Salmos 32.1,2 (nvi)  – (leia todo o salmo 32)

Este salmo é muito especial porque é a poesia de alguém que pecou e depois foi perdoado. O rei Davi, mesmo conhecendo a Deus e a sua vontade, fraquejou e pecou contra o Senhor. Davi relaciona alguns detalhes que nos ensinam os estágios para se chegar ao verdadeiro arrependimento:

Conflito íntimo por causa da culpa do pecado.

Reconhecimento completo do pecado.

Disposição para confessar o pecado.

Consciência de que só Deus resolve o problema do pecado.

Percepção de que o pecado é perdoado pela misericórdia de Deus e não pelo sacrifício humano.

Alegria enorme pela certeza de que o pecado foi perdoado por Deus. (bee)

 

BIBLIOGRAFIA UTILIZADA

Bíblia  –  Almeida Revista Corrigida  (arc)

Bíblia  –  Almeida Revista Atualizada  (ara)

Bíblia  –  Nova Versão Internacional  (nvi)

Bíblia  –  de Estudo Aplicação Pessoal  (beap)

Bíblia  –  de Estudo Esperança  (bee)

Novo Testamento Interpretado  (nti)

Dicionário Ilustrado da Bíblia (dib)

 

Pr. João da Cruz Parente

E-mail: prparente@gmail.com

Para ler mais artigos do autor (Clique aqui)

 

 

                                        PÁGINA INICIAL / ÍNDICE DAS MENSAGENS

Deixe seu comentário