Você perdeu a alegria?

 triste

VOCÊ PERDEU A ALEGRIA?

 

“Que aconteceu com a alegria de vocês?”

Gálatas  4. 15a  (nvi)

 

O apóstolo Paulo, fez esta pergunta aos crentes da Galácia, quando percebeu  que: “…como é que estão voltando àqueles mesmos princípios elementares, fracos e sem poder? Querem ser escravizados por eles outra vez?” Gl. 4. 9.

Lamentavelmente muitos crentes em Jesus,  no transcorrer dos tempos,         continuam perdendo a alegria da salvação, por terem voltado ao modo antigo de viver. Quantas vezes temos ouvido a expressão: Gostaria muito de voltar ao primeiro amor. Os da Galácia, haviam perdido a alegria em Jesus, por terem voltado aos costumes judaizantes; Muitos dos crentes atuais, por terem voltado a velhas práticas pecaminosas, que o inimigo oferece e que são terrivelmente escravizantes, também estão perdendo essa alegria. Quantos tem deixado de praticar os ensinos preciosos da Palavra de Deus e retornado aos vícios antigos, como: tabagismo, alcoolismo, drogas em geral, sexo ilícito, engano nos negócios, mentira, e tantos outros pecados que no primeiro instante até podem dar uma leve sensação de conforto e prazer, mas que no fim se tornam amargos, agonizantes, tirando muitas vezes o interesse de viver. Quantos estão vivendo a vida conjugal sem nenhum prazer? Quantos estão saindo de casa para seu ambiente de trabalho, como se fosse um martírio?  Paulo, faz uma admoestação aos Gálatas “Foi para a liberdade que Cristo nos libertou. Portanto, permaneçam firmes e não se deixem submeter novamente a um jugo de escravidão.” Gl. 5. 1.  Na liberdade que em há em Jesus, tem alegria no Espírito Santo, paz no coração e existe a verdadeira felicidade de viver em Cristo e para Ele.


PARA REFLETIR:  Continuo tendo a alegria da salvação em JESUS?

 

Pr. João da Cruz Parente

 

PÁGINA INICIAL / ÍNDICE DAS MENSAGENS

 

Um comentário para “Você perdeu a alegria?”

  1. Áureo Farias disse:

    … “Foi para a liberdade que Cristo nos libertou. Portanto, permaneçam firmes e não se deixem submeter novamente a um jugo de escravidão.” Gl. 5. 1.

Deixe seu comentário