Livro de Juízes

madeira-e-martelo-dos-juizes-do-bronze-em-um-livro-de-lei-41838292

LIVRO DE JUÍZES

 

AUTOR:  Provavelmente Samuel

TEMA:    Apostasia e Livramento

DATA:     Entre 1050 a 1000 a.C

O período dos juízes vai  de 1375 a 1050 a.C.

Os juízes (treze deles são mencionados neste livro) vieram de várias tribos e funcionavam como chefes militares e magistrados civis.(bep) (Incluindo I Samuel, temos o registro de 17 juízes-(bep).

 

Cada juiz é um salvador e governador, um libertador espiritual e político. Por causa disso, os juízes retratam o papel de Cristo como o Rei-Salvador do seu povo.

 

Moisés tinha profetizado que a opressão viria da parte das nações estrangeiras sobre os israelitas como maldição da parte de Deus, se eles abandonassem o concerto (Dt. 28. 25, 33, 48). bep.

 

Não expulsaram por completo os cananeus, conforme Deus havia ordenado. Ver Juízes 1.28;  3.6;  2.13  –  Jz. 2. 1 a 3
Juízes 3.7 a 16.31,  abarca a parte principal do livro. Registra seis exemplos de reincidência de Israel em revezes diversos no período dos juizes, abrangendo tempos de apostasia, de opressão por estrangeiros, de servidão, de clamor a Deus sob aflição e de livramento divino do povo, mediante líderes ungidos pelo Espírito Santo.

 

 Ver juízes 10. 6,  7.

E A IRA DO SENHOR SE ACENDEU.

A ira contra o pecado e a iniqüidade, é um atributo intrínseco de Deus (ver estudo OS ATRIBUTOS DE DEUS, pg.915). Trata-se de uma expressão da sua bondade e amor em relação à justiça. Quando o crente em seu espírito se ira contra o pecado, violência, maldade ou injustiça, não está cometendo erro, pois tais indivíduos compartilham assim da natureza divina, participando do seu amor à justiça e sua aversão à iniquidade (ver Mc. 3.5; Rm. 1.18 nota; Hb. 1.9 nota). bep.

 

PARALELISMO ENTRE O LIVRO DE JUÍZES E O NT

O livro de Juízes revela um princípio divino imutável: quando Deus usa grandemente uma pessoa no seu serviço, “vem sobre ele o Espírito do Senhor” (3.10; 6.34; 11.29; 14.6,19; 15.14).No início do ministério de Jesus, o Espírito Santo desceu sobre Ele por ocasião do seu batismo (Mt.3.16; Lc.3.21,22ª). Antes de subir ao Pai, Jesus mandou seus discípulos aguardarem a promessa do Espírito (At. 1.4,5); a razão para isso foi que receberiam poder quando o Espírito Santo viesse sobre eles (At. 1.8; 4.33). Em ambos os concertos, o modo de Deus derrotar o inimigo e promover o avanço do seu reino é mediante a energia, força e poder do Espírito Santo operando através de instrumentos humanos submissos e obedientes.

BIBLIOGRAFIA UTILIZADA

Bíblia de Estudo Pentecostal

Bíblia de Estudo das Profecias

 

Pr. João da Cruz Parente

E-mail: prparente@gmail.com

Para ler mais artigos do autor (Clique aqui)


                                           PÁGINA INICIAL / ÍNDICE DAS MENSAGENS

Deixe seu comentário